sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Eu era considerado um homem perverso e um falso profeta e por isso eles flagelaram-Me



Eu era considerado um homem perverso e um falso profeta e por isso eles flagelaram-Me
Quinta-feira, 13 de novembro de 2014, 11h10min.

Minha querida e amada filha, Eu revelo-vos hoje um dos maiores mistérios do fim dos tempos.

A sequência de eventos que conduzem ao último dia é semelhante à da Minha Crucificação, que será promulgado em todas as fases, até ao dia em que Eu virei novamente para salvar o mundo.

Quando Eu estava no Jardim do Getsêmani, Eu estava isolado, sozinho e agoniado, porque muito poucos acreditavam que Eu falava a Verdade. O Meu Amor pelo Meu Pai suportou-Me, mas o Meu Amor pela humanidade fez com que o tormento que Eu suportei, incluindo a tortura mental e física às mãos de Satanás, fosse aceite por Mim, embora com um esforço tremendo.

Como Eu sofri naquele Jardim. Como Eu implorei ao Meu Pai por alívio. Como Eu fiquei com o coração quebrado quando o maligno Me mostrou como o mundo iria acabar. Ele insultou-Me, riu-se de Mim, cuspiu em Mim e escarneceu, quando Me mostrou as almas dos Meus inimigos, que diriam um dia ao mundo que eles serviam a Minha Igreja. Assim como ao mostrar os Meus queridos apóstolos a denunciar-Me e, depois, a jurar fidelidade a Satanás. Ele mostrou-Me as almas dos fiéis, cujas vozes seriam consideradas como de fanáticos radicais, e que seriam acusados de crimes terríveis. Eu vi aqueles que disseram que Me representavam, a perseguir os profetas e os videntes, bem como aqueles que procurariam a sua destruição. Eu tive que suportar uma grande escuridão, quando Eu vi o mundo que Eu uma vez habitara a tornar-se não apenas cego acerca de Quem Eu Sou, mas ao qual nunca seria dito algo sobre Mim.

Eu estava jogado ao chão, a Minha Face colada ao solo, pontapeado, chicoteado e as Minhas roupas arrancadas por Satanás. Ele atormentava-Me, para além da Minha capacidade humana e debaixo de uma extrema resistência do corpo físico. Apesar disso, foi-Me dada força para continuar a enfrentar a Minha inevitável Crucificação, que Me aterrorizava. O Meu Amor pelo homem ultrapassou, no entanto, o Meu medo humano.

Os Meus servos sagrados, que se recusam a denunciar-Me, sofrerão também um isolamento semelhante. Eles serão desgraçados e postos de lado. O seu isolamento não será condenado pela Minha Igreja, por causa do medo dentro dela.

Quando Eu fui flagelado, aqueles que realizaram os atos mais cruéis e vis sobre o Meu Corpo rejubilaram. Eu era considerado um homem perverso e um falso profeta e por isso eles flagelaram-Me. Eles gabavam-se da sua santidade, da sua justiça e do seu conhecimento da Sagrada Escritura, enquanto vilipendiavam o Meu Corpo. Eles não conseguiram aceitar a profecia de que o seu Messias viria para os salvar. Aqueles que proclamarem a Minha Segunda Vinda sofrerão o mesmo tratamento.

Quando Me deixaram nu, eles queriam humilhar-Me ainda mais e por isso Me vestiram com um trapo vermelho que mal Me cobria, para profanarem ainda mais o Meu Corpo. Mas quando espetaram espinhos, como agulhas, na Minha Cabeça, declararam que o Filho do homem era um impostor e que, portanto, não era digno de aceitação. Eles rasgaram o Meu Olho para fora do seu local, mas a dor era insignificante, em comparação com a sua declaração de não ser aceite como o Salvador dos filhos de Deus.

Todas estas coisas estão para ser promulgadas em breve, quando Eu, Jesus Cristo, como Cabeça da Minha Igreja, for descartado e a Minha Coroa Me for tirada. Um falso líder, o anticristo, substituir-Me-á como Minha Cabeça, e, ao contrário do Cordeiro Sacrificado, ele usará uma brilhante coroa de ouro. Debaixo dessa fachada ele enganará um núcleo podre, e juntamente com mentiras, falsidades, blasfémias e heresias, que derramarão da sua boca, ele transmitirá tudo como se fosse o mel que derrama da colmeia das abelhas. Não tenhais ilusão alguma, a besta terá uma bela aparência, a sua voz será tranquilizadora, a sua conduta imponente. Ele será bem parecido e apelativo, mas da sua boca para fora derramará o veneno que vai envenenar as vossas almas.

Quando Eu carreguei a Minha Cruz, Eu não poderia fazer isso por Mim Próprio. Ela era tão pesada que Eu só podia dar um passo de cada vez e andar muito lentamente. O Meu Corpo estava despedaçado em muitas partes e por causa da perda de Sangue Eu desmaiei várias vezes, tão fraco Eu estava. Eu estava cego de um dos Olhos e os espinhos na Minha Cabeça faziam com que o Sangue derramado das Minhas Chagas tivesse que ser continuamente limpo por aqueles que caminhavam ao Meu lado. Caso contrário, Eu nunca teria sido capaz de dar mais um passo para a frente.

O mesmo será verdade na Minha Igreja Remanescente, o último sustentáculo do Meu Corpo. Eles marcharão, tal como Eu fiz, com uma pesada cruz, mas, apesar da dor, do abuso, do sofrimento e do derramamento de sangue, eles resistirão até ao fim. Porque o Meu Precioso Sangue fluirá sobre as suas almas a par com a Minha Própria Tristeza – a Minha Própria Crucificação. E, no dia em que eles não mais realizarem os sacrifícios diários da Missa, a Minha Presença será extinta. Quando chegar o dia para o Meu Corpo – a Minha Igreja na terra - ser finalmente saqueado, crucificado e profanado, tudo mudará para sempre.

É o Meu Corpo, a Minha Igreja, enquanto ainda vivo no mundo, que sustenta a vida. Mas quando ele for destruído, a vida, como vós a conheceis, acabará. Quando a Minha Igreja é traída, sacrificada e descartada, assim como a Minha Crucificação, isso marcará o fim dos tempos.

O Vosso Jesus.


Fonte: The Warning Second Coming: www.thewarningsecondcoming.com.



Nenhum comentário:

Postar um comentário